Óleo e Gás

Ministro aponta dedo para Venezuela em derramamento de óleo

Ministro aponta dedo para Venezuela em derramamento de óleo

O ministro do Meio Ambiente do Brasil, Ricardo Salles, diz que um relatório da companhia estatal de petróleo Petrobras indica que o derramamento  petróleo que polui as praias do nordeste do país vem da Venezuela.

O lodo de petróleo começou a desembarcar na costa do Brasil no início de setembro e já atingiu 61 municípios em nove estados, contaminando mais de 130 praias. Salles disse aos legisladores hoje que o petróleo “provavelmente vem da Venezuela, como diz o estudo da Petrobras“. Em declarações à comissão ambiental da câmara baixa do Congresso, Salles disse que o óleo foi transportado em um barco estrangeiro navegando perto da costa brasileira.

O presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, classificou os derramamentos como “um desastre muito preocupante”, sem sinais de recuo. Ontem, o presidente brasileiro Jair Bolsonaro disse que os derramamentos de petróleo pareciam envolver crimes. “Parece que algo foi despejado criminalmente”, disse Bolsonaro em Brasília, depois de se encontrar com Salles.

Mas Bolsonaro ontem se recusou a dizer quem as autoridades suspeitam estar por trás do vazamento. No estado de Sergipe, as autoridades declararam estado de emergência e recomendam que as pessoas não usem as praias poluídas.

Sobre o derramamento

O derramamento de petróleo cru no Nordeste preocupa autoridades e ambientalistas, que ainda não conseguem medir o impacto do desastre ambiental, mas já projetam que serão necessárias décadas para que fauna e flora atingidas se recuperem. O material tóxico chegou em Áreas de Proteção Ambiental (APAs) como a de Santa Isabel, em Pirambu (SE), Piaçabuçu (AL) e Delta do Parnaíba (PI), além dos parques nacionais de Jijoca de Jericoacoara (CE) e Lençóis Maranhenses (MA).

Voltar ao Topo