Petróleo

MME demonstra satisfação com cenário do petróleo brasileiro

MME demonstra satisfação com cenário do petróleo brasileiro

Na última quinta-feira(10) foi aprovado pelo Tribunal de Contas da União (TCU) as regras do Leilão dos Volumes Excedentes da Cessão Onerosa, que acontecerá no próximo dia 6 de novembro. Com isto, o Ministério de Minas e Energia (MME) demonstrou satisfação com a decisão do Tribunal, visto que a licitação é de grande importância para a economia do país.

“O Ministério reconhece o esforço e o comprometimento dos Membros do Tribunal com o interesse público, que permitirão o cumprimento do cronograma do maior leilão de petróleo e gás já realizado”, declarou o MME em nota oficial.

Segundo projeções do Ministério, a consolidação da agenda de leilões colocam o setor P&G brasileiro como o principal polo de atração por parte das principais empresas petroleiras que atuam no mercado mundial. Além da geração de novos empregos, os lucros estão estipulados em mais de R$ 1 trilhão ao longo do contrato.

“Com a aprovação das regras do Leilão da Cessão Onerosa, o Brasil dá um importante passo para se transformar no quinto maior produtor de petróleo do mundo e dobrar as reservas atuais para o patamar de 30 bilhões de barris de petróleo equivalentes”, concluiu o MME.

O MME

Ministério de Minas e Energia (MME) do Brasil foi criado em 1960, pela lei n° 3.782, de 22 de julho de 1960, no governo do então presidente Juscelino Kubitschek. Anteriormente, os assuntos de minas e energia eram de competência do Ministério da Agricultura.

O MME tem como empresas vinculadas a Eletrobras e a Petrobras, que são de economia mista. A Eletrobras, por sua vez, controla, as empresas Furnas Centrais Elétricas S.A., Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf), Companhia de Geração Térmica de Energia Elétrica (CGTEE), Centrais Elétricas do Norte do Brasil S/A (Eletronorte), Eletrosul Centrais Elétricas S.A. (Eletrosul) e Eletrobrás Termonuclear S/A (Eletronuclear).

Entre as autarquias vinculadas ao Ministério estão as Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e a Agência Nacional de Mineração (ANM).

Voltar ao Topo