Offshore

MODEC recebe LoI da Petrobras pelo contrato de Marlim 1 FPSO

A MODEC, do Japão, garantiu uma carta de intenções (LoI) da Petrobras para um contrato de embarcação flutuante de produção, armazenamento e descarregamento (FPSO) para o campo de Marlim, no exterior do Brasil.

Localizado na Bacia de Campos, na região norte do Estado do Rio de Janeiro, a 150 km da costa, o campo de Marlim é totalmente operado pela Petrobras.

O contrato é de 25 anos e é o 16º projeto do MODEC no Brasil e o 6º na Bacia de Campos.

O FPSO fará parte do projeto de revitalização do cluster de Marlim e a primeira produção de petróleo do navio está prevista para 2022.

A empresa japonesa cuidará da engenharia, aquisição, construção, mobilização, fretamento e operações do FPSO, incluindo equipamentos de processamento de topsides, além dos sistemas marítimos e de casco. A SOFEC, empresa do grupo MODEC, realizará o projeto e fornecimento do sistema de ancoragem de propagação para a unidade flutuante.

Navio FPSO terá capacidade de processamento de 80.000 barris de petróleo bruto

De acordo com o MODEC, o navio FPSO terá uma capacidade de processamento de 80.000 barris de petróleo por dia (bpd), 7 milhões de metros cúbicos padrão de gás por dia, 390.000 barris de injeção de água por dia e poderá armazenar pelo menos 1 milhão de barris de petróleo bruto.

O presidente e CEO da MODEC, Yuji Kozai, disse: “Este novo contrato reflete nosso compromisso com nossas operações no Brasil e com a Petrobras.

“O Brasil é um país chave em nossa estratégia de negócios e está prestes a entrar em um período muito promissor para o segmento de energia.

“O mercado brasileiro e a Petrobras nos apoiam, fortalecendo nossa posição no setor offshore global de petróleo e gás há quase 20 anos.

“Nosso desejo é continuar apoiando o desenvolvimento da indústria local de petróleo e gás, tanto em campos maduros como o projeto de revitalização de Marlim, quanto em projetos de campo verde no pré-sal, entre outros.”

A operadora offshore MODEC de Tóquio também fornecerá mais três FPSOs, a saber, o FPSO Carioca MV30, o FPSO Guanabara MV31 e o FPSO Almirante Barroso MV32 para o Brasil nos próximos anos. Esses FPSOs serão implantados no pré-sal da Bacia de Santos.

Em junho, a MODEC entregou uma embarcação FPSO para o campo de Búzios no exterior do Brasil, detida a 100% pela Petróleo Brasileiro (Petrobras).

Voltar ao Topo