Empregos

Obras de linhas de transmissão vão gerar 500 vagas de empregos diretos; saiba mais

Cerca de 500 vagas de emprego serão geradas pela EDP Energia do Brasil empresa que atua em todos os segmentos do setor elétrico brasileiro que acaba de receber a licença de Instalção da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Naturais do Maranhão (SEMA) para o início das obras de 127 quilômetros de linhas de transmissão de energia que reforçarão o sistema elétrico do Estado.

De acordo com as informações divulgadas pela empresa, a Licença permite o início imediato das obras de construção do chamado Lote 7, que, além de duas linhas de Transmissão, será responsável por uma nova subestação de energia em São Luís. O empreendimento foi adquirido no Leilão 005/2016 da ANEEL.

O principal objetivo da empresa  é aumentar o suprimento de energia elétrica no norte do Maranhão, passando pelos municípios de São Luís, Bacabeira, Santa Rita, Anajatuba, Itapecuru Mirim e Miranda do Norte.

Geração de emprego

Com um investimento de cerca de R$ 400 milhões, a construção do Lote 7 deve criar aproximadamente 500 empregos diretos na região. Luiz Otávio Henriques, vice-presidente de Geração e Transmissão da EDP no Brasil, disse que  “Seguindo um cronograma rigoroso de trabalho, a EDP espera concluir mais esta obra com a antecipação que já se tornou sua marca registrada no mercado, reforçando a infraestrutura do sistema elétrico maranhense, impulsionando a economia e a geração de empregos no Estado.”

Também no Maranhão, a EDP deu início no começo do ano à construção dos empreendimentos elétricos do Lote 11, que incluem uma nova subestação de energia em Chapadinha e duas linhas de transmissão de 230 kV nos municípios de Miranda do Norte, Matão do Norte, Cantanhede, Pirapemas, Vargem Grande e Chapadinha e Coelho Neto, totalizando 203 quilômetros de extensão. A previsão é que estas obras, que contaram com um investimento total de R$ 182 milhões, sejam concluídas no primeiro semestre de 2020, gerando cerca de 200 empregos diretos.

Com Informações do Petronotícias
Voltar ao Topo