Obras e Paradas

Obras do Programa de Concessões Rodoviárias geram mais de 11 mil empregos

Média mensal de empregos gerados nas obras das rodovias concedidas aumentou no 2º semestre alcançando 11.800 postos de trabalho em julho

As concessionárias que integram o Programa de Concessões Rodoviárias do Estado de São Paulo mantêm desde o início do ano uma média mensal 11.384 vagas de empregos em obras de ampliação, manutenção e conserva nos 8,4 mil quilômetros de malha rodoviária sob sua responsabilidade. E a média de empregos gerados é ainda maior no segundo semestre, alcançando o pico de 11.800 postos de trabalho gerados em julho e 11.533, em agosto, de acordo com levantamento da ARTESP (Agência de Transporte do Estado de São Paulo) junto às concessionárias.

A principal obra em andamento em termos de geração de empregos, e também de investimentos, é a duplicação do trecho de serra da Rodovia dos Tamoios (SP-099), iniciada em dezembro de 2015. Responsável por 2,1 mil vagas de trabalho em agosto, a obra é realizada pela Concessionária Tamoios, com investimento total de R$ 2,8 bilhões. A previsão é de conclusão em 2020. São 21,6 quilômetros de novas pistas (do km 60,4 ao km 82) entre Paraibuna e Caraguatatuba, sendo que 12,7 quilômetros são em cinco túneis – dos quais 7,7 quilômetros já estão perfurados. Atualmente já foram realizadas mais de 65% das obras. Em agosto do ano passado foi entregue parte da obra, com a liberação para o tráfego do trecho entre o km 60,4 e o km 64,4.

Região de Campinas
Na região de Campinas, duas obras sob responsabilidade da concessionária Rota das Bandeiras também têm previsão de conclusão em 2020. Responsável por cerca de 140 empregos, segundo dados de agosto, a implantação de marginais da Rodovia D.Pedro I entre o km 129 e o km 145 tem previsão de conclusão no primeiro semestre do ano que vem.

A maior parte dessas obras já foi entregue: o trecho entre o km 129 e o km 143, em ambos os sentidos. Faltam dois quilômetros em cada sentido. Já o prolongamento do Anel Viário Magalhães Teixeira (SP-083) é responsável por 108 empregos. Com investimento de R$ 72,8 milhões, está sendo implantado o trecho entre a Rodovia dos Bandeirantes (SP-348) e a Rodovia Miguel Melhado Campos (SP-324), que irá facilitar o acesso ao Aeroporto de Viracopos. A Rota das Bandeiras tem várias outras obras em execução que, incluindo as duas citadas, abriram 1.449 postos de trabalho na malha da concessionária.

Baixada Santista
Na Baixada Santista, as obras de reformulação e revitalização da entrada de Santos, executadas pela concessionária Ecovias, são responsáveis por mais de 350 empregos. Prevista para serem entregues em 2021, as intervenções terão investimento de mais de R$ 260 milhões. Estão sendo reformulados os acessos aos bairros vizinhos à Via Anchieta (SP-150) com implantação de vias locais ao Jardim Piratininga, Jardim São Manoel, São Jorge, implantados três viadutos, além de ciclovia e passarelas. Com a reformulação o fluxo de entrada e saída ao Porto de Santos, composto predominantemente por caminhões, será separado do tráfego que entra e sai da cidade, no qual prevalecem os veículos leves. No total, a Ecovias responde por 725 empregos em obras na sua malha (dados de agosto).

Outras regiões
Além de Tamoios, Rota das Bandeiras e Ecovias, as concessionárias que mais abrem postos de trabalho em obras são a Cart e a ViaPaulista. Responsável pela administração, manutenção e operação do Corredor Raposo Tavares, que abrange 834 quilômetros de rodovias entre Baru e Presidente Epitácio (considerando 390 quilômetros de vicinais), a Cart responde por 1.158 postos de trabalho.

De acordo com levantamento da concessionária, a maior parte dessa mão de obra está empregada em manutenção e recuperação de pavimento. Já a ViaPaulista, que opera 720 quilômetros de rodovias nas regiões de Bauru, Franca, Itapeva, Ribeirão Preto, Sorocaba e Central, criou 1.057 empregos em agosto. Segundo a concessionária, serviços de manutenção de pavimento, sinalização vertical e horizontal e recuperação de drenagem, entre outros, são os principais responsáveis pelas vagas. Somente este ano, até agosto, as 20 concessionárias do Programa de Concessões Rodoviárias já investiram R$ 4,3 bilhões em obras de ampliação e manutenção, operação e atendimento aos usuários.

Novas concessões
A geração de empregos, além do investimento em obras que melhorem a logística do Estado, é um dos compromissos do Programa de Concessões Rodoviárias. Nas novas concessões essa é uma preocupação presente. As intervenções previstas no edital de concessão do Lote Piracicaba – Panorama, cuja licitação está marcada para 28 de novembro, serão responsáveis por seis mil novos empregos no primeiro ano de contrato, subindo para sete mil no segundo. Nessa concessão, que irá ampliar e modernizar 1.273 quilômetros de rodovias, estão previstas obras cujos investimentos alcançam R$ 14 bilhões, com intervenções como a duplicação de 600 quilômetros de rodovias, construção de mais de 50 quilômetros de novas pistas, além da implantação de marginais e faixas adicionais, entre outras melhorias.

Voltar ao Topo