Biocombustíveis

Óleo derramado em praias do nordeste não é brasileiro

Óleo foi derramado nas praias do Nordeste.

A Agência Ambiental Brasileira Ibama afirmou nesta quinta-feira (26 que uma análise de um vasto derramamento de óleo nas praias do nordeste do país mostrou que o petróleo derramado não se originou no país.

O Ibama disse em comunicado que está investigando o vazamento em várias praias em alguns estados do nordeste desde 2 de setembro. A mídia local mostrou fotos de tartarugas marinhas cobertas de alcatrão preto pela mancha.

O derramamento se estende por mais de 1.500 quilômetros da costa nordeste do Brasil, afetando a vida selvagem e poluindo algumas das praias de cartão postal em um dos principais destinos turísticos do país, como Praia do Futuro, no Ceará, e Maragogi, em Alagoas. Estado.

A Petrobras SA informou em comunicado que concluiu após uma análise molecular do petróleo que o óleo derramado não foi produzido nem vendido pela empresa.

O petróleo bruto é testado antes da exportação para garantir que está em conformidade com os padrões da refinaria para a qual está sendo enviado. O petróleo bruto de diferentes campos pode ser identificado de acordo com uma série de assinaturas químicas, incluindo níveis de enxofre e nitrogênio, acidez e viscosidade.

O chefe da agência de petróleo do Brasil, ANP Decio Oddone, disse que a agência acredita que o petróleo possa ter sido derramado por um navio-tanque transportando o petróleo para longe da costa brasileira, mas acrescentou que essa possibilidade ainda não foi confirmada. Um comunicado da ANP disse que não houve relatos de derramamentos por nenhum operador de plataformas de perfuração de petróleo no país.

O Ibama afirmou que as praias dos estados do Rio Grande do Norte, Maranhão, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Alagoas e Sergipe foram afetadas.

Algumas tartarugas marinhas foram contaminadas pelo óleo. Eles foram resgatados vivos no estado do Rio Grande do Norte e enviados para centros de reabilitação. Outros animais foram encontrados mortos, disse o Ibama, sem divulgar espécies ou números.

A Petrobras, como é conhecida a companhia estatal de petróleo, disse em comunicado que, apesar de não estar envolvido no vazamento, estava contribuindo para os esforços de limpeza, com cerca de 100 funcionários da Petrobras ajudando a limpar as praias.

Voltar ao Topo