Petróleo

OPEP + fará melhor com acordo de cortes de produção, dizem ministros do petróleo

Os principais ministros da OPEP prometeram fazer melhor com seu acordo de cortes de produção, com o novo ministro da Energia da Arábia Saudita dizendo que a próxima reunião da OPEP é o local para discutir a mudança desse acordo.

“Uma coisa que posso relatar é que existe uma disposição clara de ser responsável e receptivo”, disse o príncipe Abdulaziz, o novo ministro da Energia da Arábia Saudita, depois de uma reunião do Comitê Conjunto de Monitoramento Ministerial, encarregado de rever o acordo de cortes. Ele disse que a Arábia Saudita manterá sua produção abaixo de 10 milhões de b / d em outubro, para 9,89 milhões de b / d. O reino já cumpriu excessivamente seu compromisso de corte nos termos do contrato de corte de produção de 1,2 milhão de b / d da OPEP e não OPEP, que está programado para março de 2020.

“O acordo é que aqueles que não cumpriram cumprirão integralmente, então vamos ter um corte mais profundo”, disse Mohammed al-Rumhy, ministro de petróleo e gás de Omã, após a reunião.

O cumprimento dos cortes foi de 136% em agosto, informou o JMMC. “Todos os países participantes, particularmente aqueles que ainda não atingiram a conformidade total com seus ajustes, foram inequívocos ao fornecer garantias constantes de sua determinação em atingir pelo menos 100% de conformidade”. Embora os estoques comerciais de petróleo da OCDE tenham caído recentemente, eles ainda permanecem acima da média de cinco anos, afirmou.

Os ministros da Nigéria e do Iraque disseram que sua produção diminuirá em setembro e outubro em relação aos níveis de agosto. “Reitero nosso compromisso com os níveis voluntários em que nos comprometemos em dezembro”, afirmou o ministro da Energia da Rússia, Alexander Novak.

O Irã não foi discutido, disse Rumhy. “Coisas como Bolton são rumores e realmente não sabemos qual será o impacto”. O presidente dos EUA, Donald Trump, demitiu John Bolton, o artilheiro do Irã nesta semana, levando a especulações de que os EUA poderiam facilitar as sanções que limitam as exportações de petróleo para o Irã.

O ministro da Energia da Nigéria, Emmanuel Ibe Kachikwu, disse que o país está produzindo 56.000 b / d acima de seu compromisso. “Vamos cortar 50% disso em setembro e depois 100% em outubro”, disse ele. “E então talvez possamos ingressar no clube com ainda mais para nós depois”.

“Eu já efetuei cortes no nível de produção e exportação a partir de hoje”, disse o ministro do petróleo do Iraque, Thamir Ghadhban. “Setembro será significativamente menor do que o exibido em agosto. Cortes mais profundos também serão introduzidos a partir de 1º de outubro, a fim de alcançar a conformidade total”.

O Iraque produziu um recorde de 4,88 milhões de barris / dia em agosto, segundo a pesquisa. Isso está muito acima de sua cota de 4,51 milhões de b / d.

Voltar ao Topo