Negócios

Petrobras anuncia venda da Liquigás para consórcio da Copagaz e Itaúsa

Petrobras anuncia venda da Liquigás para consórcio da Copagaz e Itaúsa

A Petrobras seu esforço de venda de seus ativos que ela considera que não são seus “ negócios próprios” e anuncia a venda da Liquigás para um  consórcio formado entre Copagaz,  Itaúsa  e Nacional Gás, que  apresentou  uma proposta de R$ 3,7 bilhões para a da totalidade de sua participação acionária na empresa. A Copagaz será a controladora da companhia.

  Fontes ligadas à estatal afirmam que a petroleira teria recebido outras ofertas – o fundo Mubadala, de Abu Dabi, com mais empresas regionais, foi apontado como outro grupo interessado pelo negócio. A transação ainda será submetida à aprovação pelos órgãos competentes da Petrobrás e as etapas subsequentes do projeto ainda  serão divulgadas ao mercado.

Em 2016, o Grupo Ultra, dono da rede Ipiranga e da Ultragaz, anunciou a compra da companhia por R$ 2,8 bilhões, mas o negócio foi barrado pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), alegando  concentração de mercado. No início deste ano, a Petrobrás contratou o banco Santander para conduzir novamente as negociações.

Para evitar problemas com o Cade, a Copagaz, que tem cerca de 10% de participação no mercado, se uniu ao Grupo Itaúsa, que tem entre seus investimentos a Alpargatas e é acionista do gasoduto NTS, que também pertencia à Petrobrás, para fazer proposta pelo negócio. A Nacional Gás também será acionista minoritária.

Sobre a Liquigás 

Liquigás Distribuidora S.A. é uma empresa brasileira da Petrobras, atuando como distribuidora de gás liquefeito de petróleo (GLP). Além do gás para uso doméstico, a Liquigás fornece produtos e serviços para diversos setores da indústria, comércio e agricultura, pecuária, aviários, condomínios, hotéis, entre outros (GLP granel).

Segundo a ANP, em 2010 a Liquigás teve participação de 22,3% no mercado de GLP; a empresa é líder de venda de botijões de 13 kg, P-13.

No ano de 2015 a empresa era a segunda maior do ramo de distribuição de GLP no Brasil e comercializou 1,65 milhão de toneladas de GLP; tinha 23 centros operativos, 19 depósitos de armazenamento e cerca de 4.800 revendedores autorizados.

Voltar ao Topo