Petróleo

Petrobras fecha acordo de comercialização de petróleo com o governo do Brasil

Petrobras brasileira pode assumir a comercialização da participação do governo em petróleo dos campos de petróleo offshore, disse uma autoridade do governo, acrescentando significativamente às operações comerciais da empresa estatal.

Em entrevista na segunda-feira, o chefe do Pré-Sal Petróleo, mais conhecido pela sigla em português PPSA, disse que está próximo de fechar um acordo no qual a mesa comercial da Petrobras administrará o petróleo que o governo do Brasil recebe de empresas do setor privado.

O acordo em potencial, discutido antes da temporada de grandes sucessos das rodadas de licitação de petróleo no país sul-americano, aumentaria significativamente o volume de petróleo negociado pela Petroleo Brasileiro SA, como a empresa é formalmente conhecida.

A Petrobras se recusou a comentar as negociações.

Em 6 de novembro, quem é quem nas empresas internacionais de petróleo competirá para adquirir campos petrolíferos offshore no Brasil em um processo que deve buscar cerca de US $ 25 bilhões para o governo. No dia seguinte, as empresas competirão em um processo separado, que deverá trazer outros US $ 2 bilhões para os cofres estaduais.

Após um trabalho de exploração significativo na área, os campos são conhecidos por armazenar bilhões de barris de petróleo não explorado.

Todos os vencedores entregarão uma parcela significativa desse petróleo ao governo, via PPSA, como é uma prática padrão na chamada região produtora de petróleo do “pré-sal” do Brasil.

Devido principalmente às próximas rodadas, o petróleo que o PPSA gerencia pode subir de apenas alguns milhares de barris por dia (bpd) no ano passado para cerca de 500.000 bpd até 2028, de acordo com estimativas preliminares, disse o chefe da PPSA, José Eduardo Gerk, em entrevista.

Isso se compara às exportações atuais da Petrobras de 583.000 bpd no trimestre de setembro.

No ano passado, a PPSA vendeu seu petróleo no mercado à vista e por meio de leilões. Mas isso deve mudar à medida que a agência fecha o contrato de terceirização com a Petrobras, disse Gerk.

“Desde que cheguei aqui (em abril), as negociações … com a Petrobras avançaram e esperamos chegar a um acordo até o final do ano”, disse ele à Reuters.

Com o petróleo que receber disparado nos próximos anos, o PPSA também deve crescer.

Atualmente, uma agência relativamente sonolenta de 44 funcionários localizada no centro do Rio de Janeiro, Gerk disse que a agência espera contratar outros 50 funcionários internos até 2021.

Voltar ao Topo