A Petrobras anunciou planos para investir US $ 84,1 bilhões em projetos de exploração e produção em águas profundas no Brasil, além de levantar US $ 27 bilhões em vendas de ativos e parcerias até 2023.

Cerca de US $ 69 bilhões do investimento planejado serão investidos no desenvolvimento da produção nas áreas do pré-sal. Outras áreas-chave de investimento incluem refino, transporte, comércio e gás natural e petroquímicos.

A Petrobras afirmou que também buscará parceiros para seus negócios de refino, transporte e comercialização, além de energia renovável. A empresa vai explorar o potencial da integração petroquímica com refino.

“O plano prevê o reposicionamento em refino por meio de parcerias nos clusters Nordeste e Sul, que representam 40% da capacidade de refino instalada no Brasil.”

O crescimento total da produção para o próximo ano deverá ser de 7% como resultado do início das operações de cinco novos sistemas este ano e mais três no próximo ano. O crescimento total da produção de petróleo e gás natural deverá ser de cerca de 5% ao ano entre 2020 e 2023.

A Petrobras afirmou: “O plano prevê o reposicionamento em refino por meio de parcerias nos clusters Nordeste e Sul, que representam 40% da capacidade de refino instalada no Brasil, permitindo compartilhar riscos e estabelecer um setor mais dinâmico, competitivo e eficiente. , além de gerar liquidez para a empresa ”.

A Petrobras também aprovou o Plano Estratégico 2040, que delineia a visão da empresa de uma empresa integrada de energia que esteja alinhada com a demanda por diversificação em fontes e usos de energia.

Os anúncios foram feitos quando promotores brasileiros alegaram que os comerciantes globais de commodities Vitol, Trafigura e Glencore pagaram subornos que ultrapassaram US $ 30 milhões para funcionários da Petrobras entre 2011 e 2014.

Essa alegação é o mais recente constrangimento para a Petrobras, que tem sido o foco de denúncias de corrupção como parte de investigações criminais mais amplas envolvendo subornos a empresários e políticos em um caso conhecido como Operação Lava Jato.

Em setembro, a empresa chegou a um acordo com as autoridades dos EUA e do Brasil para resolver investigações de longa data no escândalo de corrupção da lavagem de carros.

Como parte do acordo de liquidação, a empresa concordou em pagar US $ 853,2 milhões em multas.(Fonte)