Offshore

Petrobras lança venda de dois ativos offshore

A gigante brasileira de petróleo Petrobras iniciou o estágio de revelar oportunidades para a venda de sua participação total em dois conjuntos de concessões offshore do pós-sal em alto mar.

Essa etapa do processo, também conhecida como reivindicação, está relacionada à venda de toda a sua participação nos grupos Golfinho e Camarupim localizados na bacia do Espírito Santo.  

A Petrobras informou quarta-feira que a transação está alinhada à otimização do portfólio e à melhoria da alocação de capital da empresa, com o objetivo de maximizar o valor para seus acionistas.  

A empresa acrescentou que as principais etapas subsequentes do projeto seriam reportadas ao mercado no devido tempo.

O grupo Golfinho está localizado a uma profundidade de água entre 1.300 e 2.200 metros, que inclui o campo de Golfinho, o produtor de petróleo e o produtor não associado de gás Canapu, bem como o bloco exploratório BM-ES-23.  

A produção total média dos campos entre 2018 e 2019 foi de 15 mil bpd de petróleo e 750 mil cbm por dia de gás.  

Quanto ao grupo Camarupim, está localizado em lâmina d’água entre 100 e 1.050 metros. Inclui os campos unificados de Camarupim e Camarupim Norte, ambos produtores de gás não associado.  

A Petrobras possui 100% de participação nos dois grupos, com exceção do bloco exploratório BM-ES-23, no qual possui participação majoritária de 65%, em associação com a PTTEP e a Inpex, que possuem 20 e 15 por cento, respectivamente. A Petrobras é a operadora em todas as concessões.  

Vale ressaltar que a aquisição pela Petrobras da participação de Ouro Preto no campo de Camarupim Norte começou em agosto de 2018 e deve terminar no primeiro trimestre de 2020.  

A empresa brasileira afirmou que as ofertas poderiam ser apresentadas separadamente por grupo ou como uma oferta única para ambos os grupos.

Notícias de: O petróleo

Voltar ao Topo