Notícias

Petrobras recebe aprovação da Suprema Corte para venda de ativos

O Supremo Tribunal Federal revogou uma liminar que condicionou a venda de alguns dos maiores desinvestimentos da petroleira estatal Petróleo Brasileiro (Petrobras).

Em maio , a Suprema Corte suspendeu a venda da unidade de gasodutos TAG da Petrobras e de oito refinarias. A suspensão também incluiu a venda do negócio de fertilizantes nitrogenados da Araucária.

O juiz do Supremo Tribunal, Edson Fachin, revogou a liminar concedida na Reclamação 33292, que permite a conclusão da operação. No mês passado, Fachin havia decidido suspender a venda de US $ 8,6 bilhões da unidade de dutos TAG da Petrobras para a empresa francesa Engie.

Em abril, a Petrobras concordou em vender a TAG para um consórcio liderado pela empresa francesa de energia Engie por US $ 8,6 bilhões e também garantiu aprovação regulatória.

Em resposta a uma ação movida pelo sindicato dos funcionários contra a venda planejada de refinarias, a decisão anteriormente mencionada a venda terá que ser realizada em um formato de leilão com a aprovação do Congresso.

A Petrobras afirmou em comunicado: “A Petrobras continua com seus desinvestimentos, fundamental para reduzir seu nível de endividamento e gerar valor através de uma gestão ativa de portfólio, em linha com seu Plano de Negócios e Plano de Gestão e Resiliência 2019-2023, respeitando a competitividade e a constitucionalidade. princípios aplicáveis ​​à empresa.

“Com relação à venda da participação de 90% da Petrobras na Transportadora Associada de Gás (TAG), a empresa informa que o ministro Edson Fachin revogou a liminar concedida na Reclamação 33292, que permite a conclusão da operação.”

Além disso, com relação à venda de 100% de sua participação na Araucária Nitrogenados, a empresa esclareceu que continuará defendendo seus interesses, considerando o Plenário da decisão do Supremo Tribunal Federal.

Voltar ao Topo