Offshore

Petrobras reduz em 50% a força de trabalho no local em meio a esforços de vírus

A empresa petrolífera estatal brasileira Petrobras reduziu a equipe administrativa em pelo menos 50%, inclusive em unidades operacionais, como refinarias e instalações de produção, em meio a esforços ampliados no maior país da América Latina para limitar o contato social e evitar a disseminação do COVID-19 .

“A medida busca contribuir com os esforços oficiais para reduzir a circulação nos espaços públicos e manter as pessoas em casa”, afirmou a Petrobras em comunicado nesta terça-feira. A equipe pessoal que pode trabalhar remotamente será reduzida em pelo menos 50%, exceto a equipe médica, disse a Petrobras.

A Petrobras anunciou pela primeira vez medidas para trabalhar em casa pouco menos de duas semanas atrás, depois que um funcionário da sede da empresa no Rio de Janeiro contratou o COVID-19 quando estava de férias no exterior. Embora a infecção tenha sido descoberta antes que o trabalhador retornasse ao escritório, a Petrobras adotou medidas para evitar a disseminação do vírus, como a redução de reuniões pessoais e a restrição de viagens dos funcionários.

A empresa também repatriou 37 trabalhadores da China, onde estavam envolvidos em projetos de sub-sal, como construção de novas embarcações flutuantes de produção, armazenamento e descarga, ou FPSOs, em estaleiros chineses. Nenhum dos trabalhadores apresentou resultado positivo para COVID-19 após retornar ao Brasil e ficar em quarentena.

O Brasil também começou a agir de forma mais agressiva nos últimos dias, fechando bares, restaurantes e espaços públicos, como as praias icônicas do Rio, com graus variados de sucesso. Os banhistas ignoraram amplamente os apelos dos bombeiros no Rio de Janeiro no domingo, ouvindo surdos as mensagens que ecoavam nos alto-falantes, pedindo aos moradores que esvaziassem as praias lotadas e voltassem para casa.

O presidente Jair Bolsonaro também se reuniu com torcedores em Brasília. Até agora, 14 membros da equipe Bolsonaro lideraram uma visita oficial aos EUA, que incluiu reuniões com o presidente Donald Trump no início deste mês, que deram positivo para o COVID-19.

A Petrobras disse que medidas adicionais podem ser implementadas, dependendo dos desenvolvimentos. “A Petrobras está avaliando a necessidade de novas medidas diariamente, com o apoio de um comitê permanente criado para acompanhar a evolução do cenário global de saúde causado pelo novo coronavírus”, afirmou a Petrobras.

Voltar ao Topo