Petróleo

Preço do petróleo sofre queda por incerteza de proximidade entre EUA e China

Preço do petróleo sofre queda por incerteza de proximidade entre EUA e China

Os preços do petróleo caíram na sexta-feira, sobrecarregados pela incerteza sobre a proximidade dos Estados Unidos e da China com um acordo comercial e com o aumento dos estoques de petróleo dos EUA. O petróleo Brent de referência caiu US $ 1,21 a US $ 61,08 por barril às 1437 GMT, a caminho de encerrar a semana 0,9% menor. O petróleo bruto West Texas Intermediate (WTI) caiu 95 centavos a $ 56,2 por barril.

A guerra comercial de 16 meses entre as duas maiores economias do mundo desacelerou o crescimento econômico em todo o mundo e levou os analistas a reduzir as previsões de demanda de petróleo, levantando preocupações de que um excesso de oferta possa se desenvolver em 2020. O Ministério do Comércio da China disse na quinta-feira que os dois países na última quinzena haviam concordado em cancelar tarifas comerciais em fases, sem fornecer um cronograma.

Mas o comentário logo foi envolto em dúvida depois que a Reuters informou que o plano enfrentava forte oposição interna no governo dos EUA. As autoridades americanas sinalizaram pontos de vista opostos sobre o status das negociações. Os preços do petróleo também estão sob pressão desde que o secretário-geral da Opep, Mohammad Barkindo, disse nesta semana que estava mais otimista com as perspectivas para 2020, parecendo menosprezar qualquer necessidade de reduzir mais profundamente a produção.

Um acordo entre a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) e aliados, como a Rússia, limitará o fornecimento até março do próximo ano. Os produtores se reúnem nos dias 5 e 6 de dezembro em Viena para revisar essa política.

“Mesmo que seja alcançado um acordo parcial (EUA-China), o impulso para a demanda não será suficiente para evitar um excesso de oferta no próximo ano, o que significa que a Opep ainda precisará fazer cortes maiores na produção”, disse o Commerzbank em nota. “No entanto, há pessoas dentro da OPEP que consideram os cortes existentes suficientes, desde que sejam aplicados de maneira consistente. Isso está exercendo pressão sobre os preços. ”

Os estoques de petróleo dos EUA subiram acentuadamente na semana passada, com as refinarias cortando a produção e as exportações caindo, informou a Energy Information Administration na quarta-feira.

Os estoques no WTI de Cushing, Oklahoma, subiram 1,7 milhão de barris, informou a EIA. Esses sinais de baixa ofuscaram os dados da alfândega chinesa, mostrando que as importações de petróleo do país em outubro subiram 11,5% em relação ao ano anterior, para um recorde. Os preços do petróleo não foram afetados por relatos de forças iranianas abatendo um drone estrangeiro sobre a cidade portuária de Mahshahr.

Voltar ao Topo