Offshore

PGS aprimora imagem de pré-sal no Brasil usando reprocessamento inovador

A edição de março do First Break se concentra na modelagem e interpretação e apresenta um artigo do PGS sobre o aprimoramento de imagens de pré-sal, implementando tecnologia inovadora orientada a modelos. Os autores descrevem o impacto das tecnologias avançadas de modelagem e inversão no reprocessamento de dados sísmicos para apoiar os objetivos de exploração e produção em um prolífico jogo de pré-sal no exterior do Brasil.

Sriram Arasanipalai, principal autor do artigo, relata ‘O benchmarking rigoroso do modelo de velocidade em relação às informações geológicas do subsolo permitiu uma construção mais precisa do modelo e imagens sísmicas mais confiáveis’.

Os dados sísmicos subjacentes são do projeto Santos Vision, que combina 15 pesquisas herdadas diferentes com parâmetros de aquisição variáveis ​​em um volume sísmico de banda larga contínua em mais de 50.000 km2 na Bacia de Santos, Brasil.

O uso de modernas tecnologias de modelagem e inversão e o benchmarking do modelo terrestre contra restrições geológicas permitiram uma imagem sísmica de alta qualidade, com foco principalmente no prolífico jogo de pré-sal. Ele demonstra o valor que os dados sísmicos herdados têm para aliviar todas as formas de incerteza, quando reprocessados ​​com novas tecnologias.

O fluxo de trabalho de construção do modelo foi otimizado usando a Inversão da forma de onda completa (FWI), resultando em um modelo mais preciso e em uma imagem sísmica dos dados do pré-sal. A migração dos mínimos quadrados (PGS LSM) foi usada para compensar a iluminação e a resolução variáveis, particularmente com o ângulo.

Os dados finais foram fotografados com precisão com amplitudes confiáveis ​​nos domínios de pré-pilha e pós-pilha, o que permite um novo nível de confiança na interpretabilidade dos dados e na caracterização de reservatórios.

Voltar ao Topo