Óleo e Gás

Preço da gasolina registra queda e gás de cozinha deve subir ainda hoje

Após registrar quedas sucessivas nas últimas três semanas em Campo Grande, o preço da gasolina abriu o mês de fevereiro com nova redução e chega a custar até R$ 3,77 nas bombas. Esse foi o menor preço apurado pelo Correio do Estado durante pesquisa realizada ontem em 26 postos, situados na periferia e na região central da Capital. O preço máximo do combustível ficou em R$ 4,16 nos estabelecimentos percorridos, o que representa variação de 9,3%.

Quando considerado o valor médio, a pesquisa aponta ainda que o litro da gasolina está custando R$ 3,88 nos postos campo-grandenses neste início de mês. Trata-se de uma redução de 3,6% na comparação com o preço médio apurado pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) na semana encerrada no sábado (1º).

Neste levantamento, o combustível custava, em média, R$ 3,921 ao consumidor, colocando Campo Grande na quinta posição entre as capitais que registraram a gasolina mais barata do País. Os preços mínimo e máximo ficaram, respectivamente, em R$ 3,799 e R$ 4,169 na pesquisa da ANP.

Na semana passada, a Petrobras reduziu o valor da gasolina nas refinarias em R$ 0,03 (ou cerca de 2,29%), seguindo a política de preços da estatal, que ajusta os valores quase diariamente, com o objetivo de acompanhar as cotações internacionais.

Outros combustíveis

No comparativo do último levantamento da ANP com a pesquisa da reportagem, também foram constatadas quedas de preço no etanol e no diesel em Campo Grande. No caso do biocombustível, o preço médio praticado pelos postos da Capital estava ontem em R$ 3,18 o litro, diante de R$ 3,25 no levantamento da ANP da semana passada (recuo de 2,1%). O preço mínimo de ontem foi de R$ 3,38, enquanto o máximo ficou em R$ 2,99, variação de 11,5%.

Para o diesel, a retração foi menor, de 0,26%, e o preço passou de R$ 3,48 para R$ 3,47. De acordo com a pesquisa, a variação de valores do combustível chega a 9,7% – o preço mínimo comercializado é de R$ 3,24 e o máximo, de R$ 3,59.

Estado

Ainda de acordo com o último levantamento da ANP, o preço médio da gasolina vendida ao consumidor do Estado alcançou R$ 4,00 na última semana, apresentando redução de 0,5% em relação à semana anterior (R$ 4,02). Quanto ao etanol, a média de preço do biocombustível manteve estabilidade e ficou em R$ 3,32 na última semana, mesmo patamar do período anterior.

Em contrapartida, o preço médio do diesel acelerou entre a penúltima e a última semana de janeiro, passando de R$ 3,46 para R$ 3,50, alta de 0,4%, conforme os dados da Agência Nacional do Petróleo.

Gás

O preço do botijão de gás de cozinha com 13 quilos deverá ficar até 1,4% mais caro a partir de hoje no Estado. A informação é do Sindicato Nacional das Indústrias Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigás), que informou ontem que a Petrobras anunciou aumento do GLP residencial (gás de cozinha) entre 0,5% a 1,4%, dependendo do polo de suprimento. A alta vai vigorar a partir de hoje nas refinarias da estatal.

No Estado, o preço médio do botijão residencial varia de R$ 58,86, encontrado em Três Lagoas, a R$ 91,67, em Coxim. Em Campo Grande, o valor médio é de R$ 66,50, sendo R$ 55 o preço mínimo e R$ 80 o máximo.

Pelos cálculos do Sindigás, o valor do GLP empresarial está 13,4% acima do GLP residencial.

Voltar ao Topo