Petróleo

Preços do petróleo caem após negociações da Opep +

Preços do petróleo caem após negociações da Opep +

Os preços do petróleo caíram na quinta-feira após uma reunião da aliança da Opep + não ter decidido aprofundar os cortes na oferta, mas focados em reduzir a produção nigeriana e iraquiana às suas cotas acordadas.

O petróleo sofreu mais pressão depois que o Banco Central Europeu reduziu sua taxa de depósito para -0,5%, de -0,4%, e disse que reiniciará as compras de títulos de 20 bilhões de euros por mês a partir de novembro para sustentar o o crescimento da zona do euro.

Os contratos futuros de petróleo brent caíram US $ 1,20 centavos a US $ 59,61 por barril até 1237 GMT. Os contratos futuros do oeste dos EUA no Texas caíram 96 centavos, para 54,79 dólares. Ambos estavam indo para uma terceira sessão de perdas.

O novo ministro da Energia da Arábia Saudita, príncipe Abdulaziz bin Salman, disse que cortes mais profundos não serão decididos antes de uma reunião da Organização dos Países Exportadores de Petróleo, prevista para dezembro.

O príncipe Abdulaziz disse, no entanto, que seu país continuaria cortando mais do que o prometido em um acordo que limitou a oferta da Opep e seus aliados em 1,2 milhão de barris por dia. Nigéria, Iraque e Rússia, às vezes, produziram acima de sua cota.
Um comunicado da OPEP e seus aliados, um grupo conhecido como OPEP +, disse que os estoques de petróleo nos países industrializados permanecem acima da média de cinco anos. O ministro da Energia de Omã disse que “as perspectivas não são muito boas para 2020”.

Os dois benchmarks de petróleo caíram acentuadamente no dia anterior, após um relatório de que o presidente dos EUA, Donald Trump , pesou no alívio das sanções contra o Irã, uma medida que potencialmente aumentaria a oferta global de petróleo. “A queda se deve a uma combinação de relatórios de Trump e Irã, a flexibilização do BCE, que elevou o dólar que prejudicou o petróleo”, disse David Madden, analista da CMC Markets.
ambém alimentando o sentimento de baixa, a Agência Internacional de Energia, que assessora as economias industriais na política energética, disse que o aumento da produção americana tornaria o mercado “assustador”.
A agência sediada em Paris manteve suas previsões de crescimento da demanda por petróleo para este e no próximo ano em 1,1 milhão de bpd e 1,3 milhão de bpd, respectivamente.
“Não há muito espaço para qualquer renúncia às importações de petróleo do Irã”, disse o analista da Petromatrix, Olivier Jakob, apontando para prováveis ​​aumentos de estoque no primeiro semestre do próximo ano.
Apoiando os preços no início da sessão de quinta-feira, China e Estados Unidos fizeram algumas concessões em uma prolongada guerra comercial, que pesou nas previsões de demanda de petróleo, antes de uma reunião planejada nos próximos dias.
Também diminuindo os preços, a Administração de Informações Energéticas dos EUA disse na quarta-feira que os estoques de petróleo caíram na semana passada para o menor nível em quase um ano, com as refinarias aumentando a produção e as importações.

Voltar ao Topo