Petróleo

Preços do petróleo caem com preocupações sobre acordo comercial EUA-China

Os preços do petróleo caíram 1% em meio a renovadas dúvidas sobre as perspectivas do acordo comercial dos EUA e China.

A preocupação com o excesso de suprimentos também contribuiu para o declínio do petróleo. O petróleo Brent caiu 69 centavos, para US $ 61,82 por barril, enquanto o US West Texas Intermediate (WTI) ficou em 63 centavos, a US $ 56,61 por barril, informou a Reuters.

O presidente dos EUA, Donald Trump, disse que as negociações comerciais com a China estavam progredindo bem e também enfatizou que um acordo será acordado ‘se fosse o caminho certo para os EUA’. Ele também observou que os relatórios das intenções dos EUA de “elevar as tarifas como parte de um acordo da fase um” estavam incorretos.

O analista da Phillip Futures foi citado pela Reuters: “A China provocou um grande choque deflacionário em suas fábricas, dando um tom sombrio ao estado frágil da economia global”.

A Reuters também citou analistas, dizendo que os investidores mostraram preocupação com o excesso de oferta de petróleo.

A Comissão de Comércio de Futuros de Mercadorias dos EUA (CFTC) disse que as posições líquidas de futuros e opções brutas dos EUA foram impulsionadas por 22.512 contratos, para 138.389 na semana de 5 de novembro de 2019.

O secretário-geral da OPEP, Mohammad Barkindo, também observou que as perspectivas do mercado para 2020 podem ter um potencial positivo e sugeriu ainda que não há nenhum requisito para fazer cortes na produção.

Nos EUA, as empresas de energia reduziram o número de plataformas de petróleo em operação pela terceira semana consecutiva. A Baker Hughes mencionou que as perfuradoras cortaram sete sondas, reduzindo a contagem total para 684, que é a mais baixa desde abril de 2017.

Voltar ao Topo