Óleo e Gás

Primeiro óleo de Búzios V acontecerá somente em 2022

Por conta do atraso na entrada de operação do ativo que se dá pelo do atraso no fechamento do contrato de afretamento do FPSO.

Nesta segunda feira (11) a Petrobras comunicou sobre o adiamento no primeiro óleo do campo de Búzios V, que pertence à cessão onerosa, no pré-sal da Bacia de Santos.  A operação tinha previsão para ser realizada em 2020, com a demora para o fechamento de contrato afretamento (licitação já dura um ano) do FPSO responsável pela operação dentro do campo, a empresa teve precisou prorrogar abertura para 2022 de, registrando impacto de 60 mil boed na produção da companhia.

Já era previsto pelo mercado devido ao imbróglio de afretamento do FPSO com a Exmar, que embora tenha apresentado o melhor preço, não conseguiu apresentar as garantias de financiamento. A FPSO de Búzios V, irá operar no campo norte de búzios, com capacidade de 80 mil b/d e processamento de 12 milhões de m³/d de gás.

Com negociações iniciadas com a segunda colocada no ramo de taxas diárias de afretamento, a Moldec, as reuniões estão se arrastando, totalizando cinco encontros entre os negociantes. As negociações deverão finalizar no fim do mês de junho por conta da negociação de grande porte.

Caso não haja acordo, a Petroleira brasileira terá que adiar novamente seu cronograma, pois negociações assim tendem ter durabilidade de um ano e prazo para construção de um FPSO pode chegar a 36 meses.

Voltar ao Topo