A produção de cobre no Chile, país líder na produção, deverá ultrapassar 6 milhões de toneladas pela primeira vez este ano e continuar a crescer em cerca de 30% nos próximos 10 anos, segundo a agência estatal de cobre Cochilco.

A produção do metal vermelho, segundo a agência, pode chegar a um recorde de 7,25 milhões de toneladas já em 2025, graças principalmente a novos projetos e expansões planejadas para entrar em operação nesta década, já que as mineradoras chilenas enfrentam a queda de minério em suas antigas minas.

A produção de minas existentes e envelhecidas, observa a Cochilco, diminuirá 19%, para 4,46 milhões de toneladas por ano, mas a queda será compensada por novos empreendimentos e expansões de minas.

O crescimento da produção, alerta a agência, só será possível se a recente onda de investimentos em mineração se materializar.

A mineradora estatal chilena e maior produtora mundial de cobre, a Codelco, lançou recentemente um plano de investimento de US $ 39 bilhões e 10 anos para aumentar a produtividade de suas minas .

A Teck Resources (TSK: TECK.A | TECK.B) (NYSE: TCK), a maior mineradora diversificada do Canadá, está avançando com uma expansão de US $ 4,8 bilhões de sua mina de cobre Quebrada Blanca, no norte do país.

A Anglo American (LON: AAL), outra importante mineradora com operações no Chile, aumentou recentemente  sua produção de cobre de suas operações locais no ano para 660.000 toneladas, acima dos 630.000 a 660.000 t previstos anteriormente, com base nas expansões planejadas suas minas Los Bronces e Collahuasi.

As estimativas da Cochilco baseiam-se em projetos de mineração registrados e consideram atrasos e problemas de produção. O relatório, no entanto, não inclui a possibilidade de greves ou paralisações nos locais, diz a agência.