Petróleo

Produção de petróleo da Opep sobe após cortes no início de 2019

Produção de petróleo da Opep sobe após cortes no início de 2019

A produção de petróleo da Opep aumentou no mês passado, o primeiro aumento desde que o grupo e seus aliados iniciaram uma nova rodada de cortes de produção no início do ano para sustentar um mercado global fraco.

A Nigéria e a Arábia Saudita lideraram o impulso da Organização dos Países Exportadores de Petróleo, que aumentou coletivamente 200.000 bpd para 29,99 MMbpd, de acordo com uma pesquisa da Bloomberg. A pesquisa é baseada em estimativas de funcionários, dados de rastreamento de navios e consultores, incluindo Rystad Energy e JBC Energy GmbH.

A OPEP e seus parceiros, uma coalizão de 24 países conhecida como OPEP +, concordaram em reduzir a produção em 1,2 MMbpd no início de 2019, como uma economia global vacilante e a crescente produção de petróleo de xisto dos EUA ameaçando deixar os mercados mundiais com um excesso. Esse acordo substituiu uma rodada anterior de calçadas que começou em janeiro de 2017.

Pivôs da OPEP

A estratégia tem lutado para sustentar os preços contra uma perspectiva de deterioração do crescimento global e uma guerra comercial aparentemente intratável entre os EUA e a China. Os contratos futuros do Brent caíram mais de 20% em relação ao pico atingido em abril e foram negociados perto de US $ 59 / bbl na segunda-feira.

Embora a Arábia Saudita tenha aumentado a produção no mês passado, o reino ainda está cortando muito mais do que o prometido no acordo da OPEP +, pois faz esforços extras para equilibrar o mercado. Riade aumentou a produção em 50.000 bpd para 9,83 MMbpd em agosto, época em que o consumo doméstico geralmente aumenta em meio ao crescente uso de ar-condicionado.

Cortes maiores do que o planejado pelos sauditas agora estão apenas equilibrando as trapaças de outros membros da OPEP.

A Nigéria não fez nenhum dos cortes prometidos e aumentou novamente a produção em agosto, de 60.000 bpd para 1,95 MMbpd, o nível mais alto desde o início de 2016. O produtor da África Ocidental aumentou a produção para níveis máximos em seu novo petróleo offshore Egina campo operado pela Total SA, de acordo com a Agência Internacional de Energia.

A Rússia, o maior produtor fora da Opep na coalizão, também mostrou sinais de retroceder em seus compromissos.

O país elevou 11.294 MMbpd em agosto, ou 104.000 bpd a mais do que seu limite sob o acordo da OPEP. O ministro da Energia, Alexander Novak, sinalizou que a conformidade diminuiria com a Rússia cortando mais do que o necessário no início deste ano, após a descoberta de petróleo contaminado em seu oleoduto de Druzhba.

Um comitê formado por membros-chave da aliança OPEP + se reunirá em Abu Dhabi em 12 de setembro para revisar seu progresso na estabilização dos mercados mundiais de petróleo. A coalizão completa se reunirá em dezembro em Viena para considerar qualquer ação necessária em 2020.

A OPEP

Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP ou, pelo seu nome em inglês, OPEC) é uma organização internacional criada em 1960 na Conferência de Bagdá que visa coordenar de maneira centralizada a política petrolífera dos países membros, de modo a restringir a oferta de petróleo no mercado internacional, impulsionando os preços, o que até então era evitado em parte devido à ação das sete irmãs.

Voltar ao Topo