Petroquímica

Projeto de R$ 600 mi prevê melhora de eficiência energética na Braskem

Investimento foi iniciado neste ano e a conclusão é prevista para 2021.

A Braskem firmou uma parceria com a Siemens para um projeto de modernização do seu sistema elétrico, que resultará em maior eficiência na produção e melhoria em indicadores de sustentabilidade da Braskem no Polo Petroquímico do ABC, em São Paulo.

A iniciativa, que conta com investimento total de R$ 600 milhões, prevê a atualização tecnológica do sistema que atende ao cracker, principal unidade industrial do Polo Petroquímico, responsável pela produção de matérias-primas ao setor químico e do plástico.

O investimento foi iniciado neste ano e a conclusão é prevista para 2021. Os recursos serão aportados pela Braskem em parceria com a Siemens, que vai construir e operar o sistema de cogeração de alta eficiência por meio de um contrato firmado no longo prazo.

A modernização da unidade prevê a troca de turbinas à base de vapor por motores elétricos de alto rendimento, suportado por uma nova planta de cogeração de energia alimentada por gás residual do processo de produção petroquímica. A mudança estrutural permitirá que o processo produtivo da unidade industrial torne-se energeticamente mais eficiente. Com esta modernização, a Braskem estima a redução do consumo de energia equivalente ao de uma cidade com um milhão de habitantes.

Luís Pazin, diretor industrial da unidade de Químicos da Braskem no Sudeste, destaca que o projeto é um exemplo dos grandes esforços que a Braskem faz na busca da maior excelência operacional além de reforçar o comprometimento com o desenvolvimento sustentável. “Com a cogeração combinada de energia elétrica e gás, vamos consumir menos energia e emitir ainda menos gases de efeito estufa”, disse.

A estimativa da empresa é de uma redução de 11,4% no consumo de água e de 6,3% nas emissões de CO2 da unidade.

Voltar ao Topo