Petróleo

Refinaria venezuelana informa suspensão de exportações de petróleo

A refinaria européia Nynas AB suspendeu as compras de petróleo venezuelano após alterações em uma licença que permite operar sob sanções norte-americanas, disseram à Reuters duas fontes com conhecimento da decisão.

A refinaria Nynas, de propriedade parcial da PDVSA, estatal da Venezuela, opera refinarias especializadas na Suécia, Alemanha e Inglaterra principalmente para a produção de asfalto.

Em janeiro, o refinador recebeu uma licença dos Estados Unidos, permitindo operar sob as sanções impostas à sua controladora, a PDVSA. Mas o Departamento do Tesouro na semana passada introduziu mudanças na permissão original.

A versão modificada da licença 13D, que agora permite que a refinaria Nynas opere até abril de 2020, diz que não autoriza “nenhuma transação ou negociação relacionada à compra ou aquisição de petróleo ou produtos petrolíferos de origem venezuelana, direta ou indiretamente, pela Nynas ou qualquer outro de suas subsidiárias “.

Advogados da PDVSA e Nynas analisaram a redação da licença e na sexta-feira decidiram que Nynas não poderia mais carregar cargas de petróleo venezuelano, segundo as fontes.

“Eles não estão transportando mais cargas por enquanto”, disse um executivo da PDVSA. “Isso pode ser tão prejudicial para nós quanto para o mercado de asfalto da Europa”.

A suspensão do contrato de fornecimento entre a PDVSA e a Nynas poderia adicionar mais problemas aos crescentes estoques de petróleo não vendido da empresa venezuelana, enquanto restringia seu fluxo de caixa. Nynas é um dos dois únicos compradores de petróleo bruto da PDVSA no Oeste, após sanções, e um dos poucos clientes pagadores em dinheiro da companhia estatal de petróleo.

PDVSA e Nynas não responderam imediatamente aos pedidos de comentário. A Nynas compra e processa principalmente petróleo naftênico, bons para a produção de asfalto e difíceis de obter. Os tipos de petróleo ocidental da Venezuela têm sido tradicionalmente a principal fonte de petróleo da Nynas.

Em um relatório anual divulgado em abril, a Nynas disse que seus volumes de vendas no ano passado foram “fortemente impactados” por restrições de oferta de petróleo.

“No contexto da incerteza prevalecente na Venezuela, a Nynas continua aumentando a quantidade de petróleo que compra de fontes não venezuelanas”, acrescentou o relatório.

O Departamento do Tesouro dos EUA ainda não emitiu este mês uma notificação sobre a renovação de uma licença separada que permitiu à produtora americana Chevron Corp CVX.N e a um grupo de empresas de serviços de petróleo dos EUA operar na Venezuela desde que as sanções foram impostas em janeiro.

Enquanto isso, a Chevron está programada para levar uma carga de petróleo venezuelano este mês, de acordo com um documento da PDVSA visto pela Reuters na semana passada.

Voltar ao Topo