Petróleo

Reparo de petrolífera saudita pode levar meses

A Saudi Arabian Oil está em negociações de emergência com fabricantes de equipamentos e provedores de serviços, oferecendo pagar taxas especiais por peças e reparos. Segundo informações de autoridades e empreiteiras, o objetivo é tentar uma rápida recuperação dos ataques com mísseis em suas instalações de processamento de petróleo.

Segundo as autoridades sauditas, pode levar muitos meses, ao invés de 10 semanas, como executivos da empresa prometeram, para restaurar as operações.

Após um ataque devastador à sua maior instalação de processamento de petróleo, há mais de uma semana, a Aramco está pedindo aos empreiteiros que especifiquem o preço dos consertos e restaurações. Nos últimos dias, os executivos da empresa correram atrás de empresas contratadas, como Baker Hughes, da General Electric, com telefonemas e e-mails, em busca de assistência emergencial, segundo autoridades e fornecedores de serviços de petróleo.

Uma autoridade saudita disse que os custos podem chegar a centenas de milhões de dólares. A Arábia Saudita e a Aramco, a empresa de petróleo mais lucrativa do mundo, lutam para se recuperar dos ataques, que ocorreram poucas semanas após o governo saudita retomar os planos para fazer uma oferta pública inicial de ações da companhia. Agora, o IPO, a saúde financeira da empresa e a economia do país podem estar em perigo, dizem consultores.

Voltar ao Topo