Indústria

Rio prevê que nova capacidade de alumínio será necessária fora da China

Os produtores de alumínio precisarão construir uma capacidade de fundição adicional fora da China, já que os estoques caem nos próximos dois a três anos, de acordo com o Rio Tinto Group.

“Nós vemos o crescimento da demanda de alumínio sendo extremamente saudável”, disse Alf Barrios , CEO da Aluminium do Rio, em uma entrevista. “As pessoas acreditavam que a China seria um exportador líquido significativo para o resto do mundo no futuro, acho que as pessoas agora consideram a China mais equilibrada”.

As participações de alumínio primário rastreadas pela Bolsa de Metais de Londres caíram pelo segundo trimestre no período até setembro e encolheram no mês passado para o nível mais baixo desde 2007.

A Bloomberg Intelligence tem uma visão de médio a longo prazo positiva sobre o alumínio com base nos déficits globais que persistem nos próximos três anos, enquanto o Goldman Sachs Group julga que o mercado está muito relaxado com relação aos riscos de fornecimento.

A indústria começará a ver os estoques chegando a níveis históricos nos próximos dois anos, disse Barrios. “Você ainda tem capacidade ociosa na China, que terá que ser absorvida pelo crescimento da demanda”.(Fonte).

Voltar ao Topo