Petróleo

Saudi Aramco diz que planos para IPO não foram afetados após ataques de drones

A Saudi Aramco, petroleira estatal da Arábia Saudita, pode retomar sua capacidade de produção mais cedo do que o planejado após os ataques ocorridos no mês passado em uma de suas instalações, disse o presidente da companhia, Amin Nasser, hoje, ao insistir que os planos de fazer uma oferta pública de ações da empresa não foram afetados.

No dia 30 de setembro, o diretor-presidente do braço comercial da companhia, Ibrahim al-Buainain, afirmou que a capacidade de produção da Saudi Aramco já voltara aos níveis registrados antes do ataque à sua maior instalação de processamento de petróleo, ocorrido em 14 de setembro.

A empresa mais lucrativa do mundo planeja vender cerca de 2% de suas ações na Tadawul — a bolsa de valores da Arábia Saudita, em Riad — no fim de novembro ou no início de dezembro, disseram na última terça-feira pessoas familiarizadas com o assunto.

Em uma conferência de energia em Londres, Nasser disse que a capacidade de produção da empresa seria restaurada para 12 milhões de barris por dia até novembro. “Considerando o progresso até agora, podemos atingir esse objetivo”, disse ele. Atualmente, a produção real seria de 9,9 milhões de barris por dia.

Segundo Nasser, o ataque reforçou a posição da empresa no que diz respeito à listagem de suas ações, pois a empresa demonstrou resiliência e capacidade para lidar com crises. Ele destacou que os planos de resposta a emergências da Aramco — como combate a incêndios e substituições nos fluxos de petróleo — funcionaram.

Voltar ao Topo