Petróleo

Sete grandes empresas de petróleo e gás que usam drones em suas operações

A principal petrolífera britânica BP foi um dos primeiros a adotar drones, realizando estudos-piloto em 2006 em seus campos de petróleo no Alasca

Várias indústrias estão usando drones para melhorar suas operações, com petróleo e gás em um dos setores testando a tecnologia.

A BP, a ExxonMobil e a Royal Dutch Shell são apenas três das empresas que empregam drones para obter informações em tempo real para aumentar sua produtividade.

De acordo com o relatório da empresa de dados e análise GlobalData, Drones in Oil & Gas – Thematic Research, a BP britânica foi uma das primeiras a adotar drones, realizando estudos piloto em 2006 em seus campos de petróleo no Alasca.

A análise anterior da GlobalData também mostra que a adoção da tecnologia na mineração está “crescendo rapidamente” , com 21% dos sites pesquisados ​​dizendo que investiram totalmente em drones durante 2019 – em comparação com apenas 9% no ano anterior.

Abaixo, a NS Energy analisa como sete empresas de petróleo e gás estão usando drones em suas operações.

Sete empresas de petróleo e gás que usam drones

BP

A BP foi a primeira empresa de petróleo e gás nos EUA a receber uma licença para operar drones comerciais em 2013, depois de se associar à AeroVironment, com sede na Califórnia, desenvolvedora de veículos aéreos não tripulados, para expandir seu uso de drones no país.

Agora, ele implementa drones, rastreadores e outras tecnologias robóticas para realizar tarefas arriscadas em suas áreas operacionais.

Chevron

A multinacional americana Chevron está aproveitando os recursos de aquisição de dados aéreos dos drones para melhorar a segurança e a produtividade nos campos de petróleo.

Ele está aplicando realidade aumentada (RA) a feeds de drones para avaliar equipamentos e infraestrutura de campo durante operações de inspeção e monitoramento.

A Chevron também está avaliando a aplicação de drones em caso de acidentes industriais, principalmente para auxiliar em derramamentos de óleo.

ConocoPhillips

A ConocoPhillips, com sede no Texas, está empregando drones para a inspeção e monitoramento de seus ativos em todo o mundo, incluindo os EUA, o Mar do Norte e a Austrália.

Atualmente, a empresa está usando drones para inspecionar a plataforma de produção de campo Judy não tripulada no Mar do Norte

A ConocoPhillips também está usando drones para inspecionar navios-tanque quanto a defeitos no exterior e no armazenamento de carga, o que reduziu o tempo total necessário para essas tarefas em aproximadamente 75%.

Drones na mineração
A ConocoPhillips está usando drones para inspecionar os petroleiros quanto a defeitos (Crédito: Pixabay / DJI-Agras)

Equinor

A empresa norueguesa de energia Equinor está investindo em uma ampla gama de tecnologias emergentes, buscando transformar suas operações usando a digitalização.

Ela está envolvida no desenvolvimento de tecnologias de robótica e drones para alavancar sua capacidade de manobra em instalações da planta que podem parecer inacessíveis aos técnicos de campo.

Prevê-se que o uso de drones da Equinor cresça à medida que se inicia a automação de operações de campos de petróleo no Mar do Norte , com o objetivo de implementar plataformas de produção não tripuladas e possivelmente totalmente autônomas.

ExxonMobil

O desenvolvimento de tecnologias de drones tem destaque na agenda da ExxonMobil desde 2012.

A multinacional dos EUA está ajudando o desenvolvimento de drones por seu potencial em melhorar a segurança operacional e, ao mesmo tempo, contribuir para a eficiência.

A Exxon implantou drones para vigilância aérea e inspeção de operações na América do Norte, Reino Unido e Austrália.

A empresa tem como alvo principal plataformas offshore e complexos de refino e petroquímicos.

Gazprom

A gigante petrolífera russa Gazprom está realizando extensos testes para avaliar o desempenho dos drones na vigilância e monitoramento de seus ativos sob condições extremamente frias.

A empresa tem como objetivo desenvolver drones que possam facilitar a coleta de dados rápida, segura e confiável a custos mais baixos.

A Gazprom pretende usar a tecnologia drone para a exploração de prospetos de hidrocarbonetos na Sibéria.

Royal Dutch Shell

A empresa holandesa-britânica Shell está usando drones da empresa canadense Aeryon Labs, desenvolvedora e fabricante de veículos aéreos não tripulados, para realizar inspeções de chamas em suas instalações.

A Shell também está realizando estudos piloto em seu centro de tecnologia em Houston e pretende avaliar as capacidades dos drones na realização de inspeções de ativos, através de uma combinação de dispositivos sensores e tecnologias de drones.

Voltar ao Topo