Óleo e Gás

Setor brasileiro de P&G sinaliza aumento e gera novas vagas de emprego

Setor brasileiro de P&G sinaliza aumento e gera novas vagas de emprego

De acordo com dados publicados recentemente, o setor de petróleo e gás no Brasil tem começado a gerar novas vagas para profissionais qualificados de níveis técnico e superior. De acordo com um estudo da Firjan (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro), devem surgir cerca de 4.500 novos postos de trabalho somente na área de exploração e produção do Rio.

Já o Instituto Brasileiro de Petróleo (IBP) afirma que o número de vagas de trabalho nos estados produtores deve dobrar até 2022 nos setores de exploração, produção e perfuração. A novidade é boa para quem busca retornar ao mercado ou ingressar no segmento, mas é preciso investir em qualificação, uma vez que a indústria P&G é uma das que pagam os maiores salários do país. De acordo com o IBP, as remunerações no mercado de óleo e gás são, em média, seis vezes maiores do que em outras atividades industriais.

A presidente da Equinor Brasil, Margareth Øvrum, revelou que a empresa pretende ampliar as contratações no país já nos próximos anos. “Vemos um crescimento significativo no Brasil. Provavelmente iremos aumentar nossa produção de três a cinco vezes até 2030. Estamos recrutando rapidamente, e um dos maiores desafios é conseguir as pessoas certas”, afirmou.

Ainda segundo matéria  publicada pelo site da Isto É, apesar do clima de decepção com a ausência das grandes petroleiras nos dois últimos leilões do pré-sal, em novembro, o mercado de trabalho no setor de óleo e gás volta a ganhar fôlego no Brasil. Depois de cinco anos encolhendo sem trégua, o porcentual de vagas abertas para cargos de média e alta gerência na área saltou 8,5% nos primeiros dez meses deste ano. Os salários ainda não se recuperam no mesmo ritmo, mas tiveram alta de 2% no ano, segundo levantamento feito pela consultoria de recrutamento internacional Michael Page a pedido do jornal O Estado de S. Paulo e do Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado.

Voltar ao Topo