Empregos

Setor das Siderúrgicas permanece estável impulsionado pelas exportações

A expectativa de concretização do Brexit, a possível entrada do Brasil na OCDE, são fatores que estão transformando o comércio global e a dinâmica geopolítica.

Em meio à ameaça representada pela disputa comercial entre os Estados Unidos e a China e a crise na Venezuela, as principais economias da América Latina passam por momentos únicos em suas histórias. Argentina devido a uma crise econômica, congela os preços e aumenta a taxa, o Brasil com a expectativa do mercado financeiro antes da reforma previdenciária, e o México em direção a um cenário de desaceleração e reajuste em suas projeções que mostram maior incerteza.

A projeção para a produção industrial do ano diminuiu na maior parte dos países da América Latina e do Caribe em abril, e a expectativa em relação aos preços ao consumidor na região também diminuiu na maioria dos países, exceto no Brasil e na Argentina. Embora o mercado de aço da região durante janeiro-fevereiro de 2019 tenha mostrado queda de 3% no consumo de aço acabado em comparação a janeiro-fevereiro de 2018, a produção regional de aço bruto e acabado caiu 11% e 8%, respectivamente, em relação a março. 2018, mostrando incertezas econômicas globais e regionais.

Embora a região tenha reduzido suas importações em 6% entre janeiro e fevereiro de 2019, foi identificado um aumento de 2% em relação a janeiro-fevereiro de 2018. A participação das importações no consumo regional também aumentou: o consumo regional é agora fornecido em 36% por essas importações , contra 34% em janeiro-fevereiro de 2018. O déficit registrado em janeiro-fevereiro de 2019 foi de 2,1 Mt, o que representa 61 mil toneladas a mais que janeiro-fevereiro do ano anterior (2,0 Mt).

Voltar ao Topo