Energia

Siemens garante construção de projeto de energia no Porto de Açu

A Siemens garantiu um pedido para a construção turnkey de uma nova usina de ciclo combinado para o projeto integrado de GNL-a-energia GNA 1 da Gás Natural Açu no Porto de Açu, no estado do Rio de Janeiro. A Siemens está fornecendo um investimento de capital e possui um terço da empresa Gás Natural Açu (GNA), juntamente com a empresa brasileira de logística Prumo Logística SA e BP. 

Além disso, a Siemens assinou um contrato de serviço de longo prazo e operará e manterá a fábrica para ajudar a garantir confiabilidade, disponibilidade e desempenho operacional. O pedido é a primeira aplicação para a turbina a gás Siemens H altamente eficiente e comprovada no Brasil. Com uma capacidade de aproximadamente 1,3 gigawatts (GW), a usina fornecerá energia acessível e limpa para o Brasil. O volume total do projeto para a GNA 1 é de aproximadamente € 1 bilhão (R ​​$ 4.

A construção do projeto já começou em 2018. Prevista para operar no início de 2021, a GNA 1 será capaz de fornecer energia para uma cidade com até quatro milhões de habitantes.

“Nossa participação na GNA demonstra o compromisso da Siemens com novas estratégias comerciais que lidam com os crescentes desafios de um mercado de energia cada vez mais exigente”, disse Lisa Davis, CEO da Siemens Gas and Power e membro do Conselho de Administração da Siemens AG. 

“Ao integrar nossa oferta ao longo da cadeia de valor de energia, o projeto GNA 1 claramente valida nossa abordagem abrangente de LNG a energia, que aumenta o valor para nossos parceiros e atende melhor às necessidades das sociedades nas quais operamos. Esperamos continuar a nossa abordagem inovadora de mercado com nossos parceiros globais e apoiar as tarifas de eletricidade garantidas para nossos clientes. Estou confiante de que veremos mais esse tipo de modelo de negócios no futuro ”, acrescentou Davis.

A usina de ciclo combinado de ciclo de gás natural liquefeito (GNL) da GNA 1 será uma das termelétricas mais eficientes da América Latina. Trata-se da primeira fase do Polo de Gás do Açu, projeto em desenvolvimento no Complexo Portuário do Açu, para fornecer uma solução logística para recebimento, processamento, consumo e transporte de gás natural das Bacias de Campos e Santos, além de importação e armazenamento de GNL. 

Em dezembro de 2017, a subsidiária do projeto, GNA 2, foi selecionada como vencedora em um leilão de eletricidade no Brasil e no verão de 2018 o Ministério de Minas e Energia autorizou a implementação de uma segunda usina termelétrica no porto de Açu. Com uma capacidade total de 3 gigawatts (GW), o Açu se tornará o maior complexo termelétrico da América Latina.

Voltar ao Topo