Notícias

Vale informa sobre a mudança do presidente de administração

Vale informa sobre a mudança do presidente de administração

A Vale mineradora  anunciou na última sexta-feira(03) a substituição do presidente de seu conselho de administração,  Gueitiro Matsuo Genso, será substituído por José Maurício Pereira Coelho.

O novo presidente, José Maurício Pereira Coelho, é um executivo com sólida experiência em finanças, relações com investidores, M&A, governança corporativa, planejamento estratégico e extensa atuação em conselhos de administração de companhias listadas no Novo Mercado da B3. Foi presidente da Previ, fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil, antes de presidir a Previ, ele ocupou diversas posições na diretoria do Banco do Brasil desde 2009. Um comunicado da empresa  destaca que o Genso teve importantes e relevantes contribuições para  a empresa durante o período em que esteve a frente do conselho.

Após o conselho de Administração da mineradora definir a nova composição do colegiado , com 13 membros, foi escolhido o nosso presidente do conselho. As alterações seguem-se ainda como consequência ao rompimento de uma barragem de Brumadinho em janeiro, que deixou centenas de mortos e envolveu a Vale em uma série de ações judiciais.

A TRAGÉDIA:

O rompimento da barragem de Brumadinho ocorreu no dia  25 de janeiro de 2019, no qual resultou em um dos maiores desastres com rejeitos de mineração no Brasil.

A barragem de rejeitos classificada como de “baixo risco” e “alto potencial de danos”,era controlada pela Vale S.A. e estava localizada no ribeirão Ferro-Carvão, na região de Córrego do Feijão, no município brasileiro de Brumadinho, a 65 km de Belo Horizonte, em Minas Gerais.

O rompimento resultou em um desastre de grandes proporções, considerado como um desastre industrial, humanitário e ambiental, com mais de 200 mortos e cerca de 93 desaparecidos, gerando uma calamidade pública. O desastre pode ainda ser considerado o segundo maior desastre industrial do século e o maior acidente de trabalho do Brasil. O presidente da Vale, Fabio Schvartsman, em entrevista coletiva salientou que, na tragédia de Brumadinho, “o dano humano será maior”, diferente do rompimento da barragem de Bento Rodrigues, em Mariana, que também era controlada pela Vale S.A. e está a menos de 200 quilômetros de Brumadinho.

Voltar ao Topo