Mineração

Vale perde licença para operar barragem do Brasil após desastre em Brumadinho

A mineradora brasileira Vale perdeu nesta quarta-feira a licença para operar a represa de Lanjeiras, vital para a maior mina do estado de Minas Gerais, disse a empresa.

A decisão foi tomada duas semanas depois que outra represa que armazenava resíduos de mineração desmoronou no vilarejo de Brumadinho – a 160 quilômetros de distância -, deixando pelo menos 150 mortos e 182 desaparecidos.

Foi o segundo desastre em três anos em uma mina da Vale, a maior produtora de minério de ferro do mundo.

“A Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável … cancelou a Autorização Operacional Provisória da barragem de Laranjeiras”, disse a Vale em um comunicado na quarta-feira, acrescentando que a decisão deveu-se a uma ação civil pública em andamento contra a empresa.

A barragem de Laranjeiras está paralisada desde segunda-feira depois que uma ordem judicial suspendeu a mina de minério de ferro de Brucutu – a maior da Vale em Minas Gerais, com produção anual estimada de 30 milhões de toneladas.

A Vale insistiu que a barragem foi construída corretamente e está certificada como estável.

O governo de Minas Gerais também cancelou a licença da Vale para operar a mina de Jangada, onde o trabalho também foi interrompido após o desastre de Brumadinho.

A agência de notícias G1 informou na quarta-feira que a Vale detectou problemas nos dados de sensores que monitoram a estabilidade da represa dois dias antes da tragédia, de acordo com e-mails da empresa descobertos pela polícia.

A decisão de quarta-feira viu as ações da Vale despencarem 4,63% na Bolsa de Valores de São Paulo e 6,19% na Bolsa de Valores de Nova York.

Voltar ao Topo